Amamentação: proteção e nutrição física e emocional.

Você sabe o que é BLW?

6000 Views 0 Comment

É uma sigla em inglês, que significa aproximadamente “Desmame guiado pelo bebê”.
Esse método parece novo, uma modinha, mas na verdade é bem antigo. Na realidade, estamos presenciando atualmente um retorno às origens e ao que é mais natural e isso é ótimo para os bebês.
Bom, sabendo que a indicação de aleitamento materno exclusivo (apenas com leite materno, sem água, chás, outros leites ou outros alimentos) é para até o sexto mês de vida e que a mãe deve iniciar a alimentação complementar mantendo o aleitamento até 2 anos ou mais e que o termo “alimentação complementar” significa que o leite materno continua sendo a principal fonte nutricional para o bebê, o BLW é um método para inseri-lo no mundo dos alimentos, sabores, texturas, cores.
O método consiste especialmente no RESPEITO à maturidade e autonomia da criança. Isso mesmo, ao invés de ser obrigado a ingerir uma quantidade pré-estabelecida de alimentos, muitas vezes todos misturados e até liquidificados (o que não é mais indicado), o BLW permite os alimentos sejam apresentados em sua forma natural, por vezes um pouco cozidos, mas em pedaços grandes o suficiente para o bebê pegar com as mãos e colocar em sua boca, explorar, sentir o sabor, a textura, brincar com o alimento, se sujar, mastigar o que for capaz, comer o que quiser, quanto quiser e quando quiser!
Essa experiência favorece o desenvolvimento motor, a maturidade da mastigação, a tonificação dos músculos intra e extraorais, a gustação, o olfato, a erupção dentária, a independência. São tantas vantagens que podemos nos perguntar porque esse método não é tão utilizado ainda (apesar de estar sendo cada vez mais conhecido e recomendado) e porque até hoje as papas reinaram no mundo da alimentação infantil.
Simples: com a redução dos índices de aleitamento materno e inserção precoce de leites artificiais, que não possuem todos os nutrientes necessários à nutrição do bebê, houve necessidade de inserir alimentos complementares mais precocemente (3-4meses, às vezes até antes). Só que o trato gastrointestinal dos bebês não está maduro o suficiente para receber alimentos antes dos 6 meses! É isso mesmo, ainda que o bebê receba outros leites, só aos 6 meses ele deve iniciar a alimentação complementar!
Voltando à inserção de alimentação complementar precoce, a saída foi liquidificar, peneirar e deixar os alimentos o mais próximo da consistência líquida, para permitir uma razoável digestão (o que sabemos que não ocorre).
Antes dessa arrasadora interferência dos leites artificiais, as mães amamentavam em livre demanda, muitas vezes durante suas refeições. Quando o bebê já conseguia sentar e já se interessava por outros alimentos, muitas vezes pegava o alimento do prato da mãe e começava a explorá-lo; legumes cortados, pequenas tiras de carne, frutas. Isso é BLW!!!!
Hoje temos vários estudos mostrando a superioridade e as vantagens desse método sobre a alimentação por papas. Os autores destacam que, para iniciar o método, o bebê deve ter com controle de tronco, conseguir permanecer sentado e agarrar os alimentos, levando-os à boca. Com o desenvolvimento motor e da mastigação, conseguirá pegar os alimentos em movimentos de pinça e mastigar com cada vez mais aptidão.
É importante destacar a necessidade de um adulto supervisionar, mas nunda impor, obrigar ou mesmo oferecer os alimentos. O bebê tem liberdade para escolher, jogar, comer, sugar o caldo.

0 Comments

Leave a Comment