Amamentação: proteção e nutrição física e emocional.

Dicas para amamentar o bebê com retrognatismo

5257 Views 0 Comment

Todo recém-nascido nasce com a cavidade oral adaptada para a amamentação e seu crescimento/desenvolvimento será proporcionado pelos movimentos mandibulares que são realizados para a ordenha do leite materno. Algumas características do bebê são interessantes de identificar, tais como a pseudo-retrognatia (o queixo do bebê é pequeno e retraído), a língua ocupa toda a cavidade oral, ele tem bolsinhas de gordura (sucking pads) nas bochechas para dar energia durante a amamentação, sua respiração é nasal e os lábios permanecem vedados.

A pseudo-retrognatia está dentro da normalidade quando apresenta 5 a 8 mm, podendo chegar a 12 mm de retração mandibular. Como na amamentação há estímulo de 4 movimentos mandibulares (abertura, elevação, fechamento e retração) e o músculo pterigóideo lateral estimula o côndilo da mandíbula, há promoção de crescimento vertical e horizontal.

Nos casos em que há retração maior que 12 mm, o bebê possui retrognatia, condição que pode dificultar a amamentação. Ela pode ou não vir acompanhada de alguma síndrome, como o Pierre Robin, mas em algumas situações existe componente genético, ou seja, se um dos pais ou ambos possuem retrognatia, o bebê também pode apresentar essa condição também.

As dificuldades de amamentação nesses casos podem ser decorrentes da dificuldade do bebê abrir a boca suficientemente para abocanhar todo o complexo aréolo- mamilar, o que acarreta dor, fissuras ou dificuldades para ordenhar o leite. Nesses casos, há algumas orientações para auxiliar a mãe:

 

  • amamentar em posição de cavaleiro (com o bebê sentado entre as pernas da mãe)
  • apoiar o queixo com o indicador e o polegar (posição de Dancer), permitindo a movimentação mandibular
  • amamentar com a mãe deitada de costas (decúbito dorsal) e o bebê por cima (decúbito ventral), com a cabeça levemente para trás (estendida)
  • realizar compressão a mama para auxiliar o bebê na ordenha do leite
  • caso o bebê fique irritado, realizar ordenha manual e oferecer o próprio leite no copo, xícara ou colher
  • utilizar a técnica da translactação, que favorece o fluxo de leite até que o bebê consiga uma pega melhor
  • realizar relaxamento na musculatura dos lábios, bochechas e promover abertura mandibular
  • não utilizar bicos artificiais (chupeta, mamadeira ou intermediário de silicone), pois os movimentos mandibulares não favorecem o crescimento mandibular horizontalmente, além do risco de provocar confusão de bicos e desmame precoce
  • mantenha a aréola sempre macia; se necessário, realize massagem e ordenha nessa região para favorecer a pega do bebê antes da mamada

 

Sempre que possível, mantenha a amamentação, exatamente para que o bebê consiga realizar os movimentos mandibulares e tenha o crescimento adequado, dessa forma logo conseguirá abocanhar corretamente e ordenhar o leite com eficiência.

 

 

0 Comments

Leave a Comment