Amamentação: proteção e nutrição física e emocional.

Socorro, meu bebê está sugando o dedo!!!

15013 Views 0 Comment

Geralmente o fato do bebê começar a sugar o dedo é motivo de preocupação materna e de indicações de toda a natureza por parte das pessoas ao redor. É importante os pais conhecerem o processo natural da fase oral para não cederem à tentação de inserir o uso da chupeta.

No útero, o feto começa a realizar movimentos de abrir e fechar a boca por volta de nove semanas e meia de gestação. Em seguida, vem a deglutição (11 semanas) do líquido amniótico e, com 17 semanas, surge o reflexo de sucção. A coordenação entre sucção e deglutição ocorre com 34 semanas de gestação e, ao nascimento a termo, o bebê estará preparado anatômica e fisiologicamente para sugar com coordenação entre sucção, deglutição e respiração 

Com o início do reflexo de sucção, ele começa a sugar o dedo ou o cordão umbilical. Muitas mães já relataram que, por ocasião da realização de ultrassom, seus bebês estavam sugando o dedo e, muitas vezes, nesse momento, as preocupações iniciaram. Será que ele será viciado em sugar o dedo? Seria melhor comprar uma chupeta desde já?

Esta preocupação é totalmente desnecessária, porque a sucção no útero é fisiológica e um preparo para mamar o peito ao nascer. A sucção é reflexa, ou seja, o que tocar seus lábios ou língua fará com que ele sugue sem qualquer ação consciente. O reflexo de sucção se manterá até aproximadamente os 6 meses de idade, momento em que será iniciada a alimentação complementar, o bebê precisará aprender a mastigar e, portanto, a sucção não será mais um reflexo imprescindível para sua sobrevivência.

Desta forma, até aproximadamente 6 meses, tudo que tocar seus lábios ou cavidade oral será desencadeante do reflexo de sucção, seja a mama, um objeto ou seu próprio dedo ou mão. Se ele é amamentado exclusivamente e em livre demanda, sua necessidade oral será satisfeita na mama. Caso não seja amamentado, haverá um déficit de necessidade oral, por isso os estudos revelam a tendência de bebês não amamentados ou amamentados por curtos períodos para desenvolver o hábito de sucção digital.

Os bebês amamentados apresentam cerca de 70% menos chances de desenvolver o hábito oral, uma vez que realizam a ordenha da mama para satisfazer sua necessidade oral e nutricional, por isso não necessitam de nenhuma outra fonte de sucção.

Por ser fisiológica, a sucção digital não deve ser inibida, impedida ou trocada por um bico artificial, pois isso apenas estimula o hábito. Geralmente o bebê suga o dedo quando está com fome ou sono e logo que mama ou dorme cessa a sucção. Neste caso a mãe pode estar tranquila, pois, em geral, por volta de 6 meses o reflexo é inibido e o bebê não mais colocará o dedo na boca, a não ser na época de erupção dentária, momento em que utilizará a mão ou dedo para aliviar o incômodo, não mais para sucção.

Para os bebês pouco ou não amamentados, pode haver desenvolvimento de hábito de sucção digital, no entanto, não é por isso que preventivamente, os pais devem oferecer chupeta. Apesar do conhecimento popular enfatizar que “é mais fácil tirar a chupeta do que o dedo”, a retirada da chupeta pode não ser nada fácil.

O bebê que possui necessidade de sucção poderá desenvolver outros hábitos orais por ocasião da retirada da chupeta, como sucção dos lábios, da língua, morder bochechas, roer unhas, ranger os dentes e, dessa forma, trocará de hábito cada vez que os pais o impedirem de realizar outro, até que sua necessidade de sucção seja totalmente satisfeita, o que poderá acarretar alterações ortodônticas, musculares, ósseas e de funções orais, da mesma forma que o hábito de sucção digital.

Ao amamentar em livre demanda, ocorre a prevenção da ocorrência dos hábitos orais e suas possíveis consequências deletérias!

0 Comments

Leave a Comment