Amamentação: proteção e nutrição física e emocional.

Quanto mais cedo, melhor!

79 Views 0 Comment

Quem não ouviu o ditado: “O tempo cura tudo”?

Hoje gostaria de fazer um contraponto a esse ditado. Acredito que muitos de nós o leva a sério, mas vamos refletir um pouco. Uma infecção, se não for tratada e se você deixar o tempo curar, certamente piorará. Isso para dar apenas um exemplo. Dessa forma, nem sempre o tempo cura tudo, certo?

A partir dessa reflexão, quero orientar as mães, pais e familiares. Muitas pacientes me procuram quando já tentaram de tudo para resolver a fissura. Já foram no Google, já falaram com a vizinha, um profissional já indicou a pomada x. A fissura vai piorando, aprofundando, doendo. Num momento de desespero, a mãe procura ajuda “para ontem”. O que vocês acham que vai acontecer? Certamente o tratamento demorará mais, demandará mais custos e esforços.

Não, o tempo não cura tudo. Algumas pacientes procuram ajuda após a fissura virar mastite e a mastite virar abscesso. Ou quando a fissura superficial se transforma em úlcera. Ou quando a produção reduz tanto, que é necessário usar fórmula.

Quanta dor, quantos custos com medicações, consultas, quanto desespero. E era só buscar ajuda nos primeiros sintomas, que toda evolução poderia ser evitada!

Dessa forma, gostaria de orientá-las a buscar ajuda aos primeiros sinais. Sim, quando vc estiver com dor sem a fissura estar visível. Com mal estar, sem a mastite estar diagnosticada. Sentindo as mamas cheias, mas sem um ingurgitamento que será doloroso para drenar o leite. E, principalmente, antes de tudo isso, para um acompanhamento preventivo.

Isso mesmo! A prevenção é muito melhor! E também temos um ditado sobre isso: “É melhor prevenir do que remediar”. Esse ditado eu acredito ser verdadeiro, e você?

A prevenção é mais barata, mais rápida, menos dolorosa. Não espere seu bebê não pegar a mama e você já ter colocado intermediário, chupeta e mamadeira para procurar ajuda. Nesse caso, em especial, quanto mais demorar a ajuda, mais difícil reverter o quadro e retornar ao aleitamento materno! Em algumas situações não será possível…

Infelizmente não há como garantir resultados. É como você ir ao médico e querer um resultado que ele não pode prometer ou fornecer. Você faz a consulta, ele pede exames, passa o tratamento e o resultado vai depender de vários fatores: você fazer o tratamento conforme o orientado, seu corpo responder a ele como esperado, não haver outros problemas… Da mesma forma com a consultoria em amamentação!

Procure ajuda, mas que seja capacitada, indicada, que você acredite e confie. E não deixe o tempo passar, ele não cura tudo!

Dra. Cristiane Gomes, Consultoria Internacional em Aleitamento Materno, IBCLC