Amamentação: proteção e nutrição física e emocional.

Quais os principais mitos do aleitamento materno?

4790 Views 0 Comment

Ainda que seja de conhecimento geral que o leite materno é o alimento ideal a lactentes para nutrição, imunologia, proteção contra várias doenças, é espécie-específico e favorece o vínculo entre mãe-bebê, o crescimento e desenvolvimento saudáveis, evita mortes e morbidades a inda possui vantagens para a saúde da mulher, para a economia familiar, para a sociedade e para o planeta, ainda existem muitos mitos relacionados ao aleitamento materno que podem dificultar ou até mesmo inviabilizar que as mães amamentem seus bebês.

 

Por ser um fenômeno complexo, biologicamente determinado, mas socioculturalmente influenciado nos seres humanos, existe forte influência das crenças e mitos que mais atrapalham do que ajudam no estabelecimento e manutenção do aleitamento materno.

 

As crenças são convicções que são absorvidas com fé, nem sempre baseadas em evidências científicas, mas aceitas completamente, sem crítica, questionamentos ou análise lógica. Já o mito se refere a tradições de um fato real, mas exagerado ou modificado, que é transmitido por gerações e, em geral, direciona o pensamento e o comportamento das pessoas, conduzindo sua forma de lidar com determinadas realidades.

 

Ainda que os profissionais de saúde precisem considerar os mitos e crenças de determinada população e cultura, eles devem promover sua desconstrução, quando desfavorecem ou dificultam a prática da amamentação.

 

Alguns mitos do aleitamento são:

 

– leite fraco

– leite não sustenta

– pouco leite

– o bebê não quer o peito

– as mamas caem com a amamentação

– o bebê tem que mamar de 3 em 3 horas

– após 6 meses o leite vira água

– se o bebê arrotar na mama o leite estraga

– o bebê fica com sede com o peito

– chupeta e mamadeira não interferem na amamentação

– leite artificial é igual ao leite materno

– amamentar dá cárie no bebê

– amamentar dá otite no bebê

 

Alguns desses mitos já foram explicados aqui no site, em outros posts, mas é sempre importante que os pais compreendam a anatomia, fisiologia da lactação, as diferenças entre a sucção na mama e nos bicos artificiais, as diferenças entre o leite materno e o leite artificial, as substâncias contidas no leite materno, etc, para não darem crédito a esse tipo de crença/mito, que só atrapalha na amamentação. O conhecimento científico é importante para tomarmos atitudes adequadas!

 

 

0 Comments

Leave a Comment