Amamentação: proteção e nutrição física e emocional.

Por que evitar os copos com bico?

16647 Views 0 Comment

Há muitos anos tenho orientado sobre a não utilização de copos com bico para bebês. Indico apenas copos com boca larga, sem bicos, a fim de aprimorar a capacidade do bebê para lamber e, posteriormente, sorver o líquido, bem como obter maior controle motor para segurar, verter e conter o líquido no copo. Claro que é um processo, a aprendizagem vem com o treino, mas venho hoje explicar o que alguns estudos têm apontado sobre os prejuízos de se utilizar copos com bico.

 

Por que não se deve utilizar copos com bico?

 

  • Porque há riscos de contaminação: Ainda que a mãe tome todos os cuidados de higiene, os copos com bico geralmente possuem áreas de difícil higienização. Ainda que não sejam visíveis vestígios de leite, as bactérias, que são invisíveis, se alojam em qualquer fresta, orifício ou dentro das válvulas (que não podem ser higienizadas, já que vem lacradas). A contaminação pode levar a infecções, inclusive infecção intestinal. Os copos comuns, xícaras, colheres ou os copos chamados 360 graus não possuem tal dificuldade, portanto, não há riscos de contaminação se o recipiente for lavado e fervido.

 

  • Porque há maior risco de cárie precoce: Vários estudos apontam que o uso do copo com bico, assim como o uso da mamadeira, são fatores de risco para cárie precoce. O risco não é pelo uso em si, mas pelo tipo de líquido oferecido, que geralmente é adocicado e calórico (leite, sucos, líquidos açucarados), especialmente à noite. Também há indicação da possibilidade da ocorrência de otite (infecção de ouvido) no caso das crianças que ingerem líquidos no copo com bico em posição deitada. A indicação, desta forma, seria para utilização deste apenas para ingestão de água e líquidos durante as refeições e não a qualquer momento do dia/noite.

 

  • Porque há risco de problemas de oclusão: o uso do copo com bico é colocado no mesmo grupo dos hábitos de sucção de chupeta, mamadeira e polegar. Tais hábitos de sucção podem ter efeito nocivo ao crescimento e desenvolvimento facial, especialmente após o primeiro ano de vida. Para sugar em qualquer bico artificial, a língua é empurrada para posterior, fato que impede o crescimento normal da região inferior da face (arcada inferior e mandíbula), além da possiblidade de desalinhamento dos dentes. O copo também faz pressão sobre a mandíbula e maxila e a frequência do uso associado à força de sucção determinará a quantidade de crescimento facial anormal, com impacto na direção desse crescimento e harmonia da face.

 

  • Porque há risco de problemas de fala: devido ao posicionamento alterado da língua, sua perda de tônus e, consequentemente, dificuldades de mobilidade, ocorre uma limitação na capacidade de produzir os sons da fala adequadamente, já que para tal produção a língua precisa apresentar os movimentos exatos para a realização do ponto e modo articulatório.

 

Para evitar possíveis problemas faciais, ortodônticos, fonoaudiológicos e de saúde geral, a adoção do copo, caneca, xícara ou colher é a melhor opção. Não interferem no aleitamento materno, são de fácil higienização e permitem as posturas orais corretas, tonificação da musculatura ideal (mastigatória) e, consequentemente, a realização das funções estomatognáticas adequadas (mastigação, fala, respiração e deglutição).

 

Quanto mais precocemente for iniciado e treinado, mais fácil será a adaptação do bebê e menores as chances de problemas.

 

Apesar de não haver muitos estudos sobre os prejuízos do uso do copo com bico e muitos textos produzidos pela indústria que fabrica tais copos (com sua indicação como ótimo método de transição, claro), a lógica mostra que, se um bico macio (mamadeira/chupeta) já acarretam tantos problemas orais, ósseos e dentários, quanto mais um bico rígido. Além disso, os copos com válvula estimulam excessivamente os músculos da bochecha, que também podem levar a alterações ortodônticas pela pressão de tais músculos sobre a arcada dentária.

 

Informação livre de conflitos de interesses da indústria é o caminho para agir com consciência pela saúde do seu bebê!

0 Comments

Leave a Comment