Amamentação: proteção e nutrição física e emocional.

Mamilo invertido impede a amamentação?

3582 Views 0 Comment

Existem vários tipos de mamilo. Algumas mulheres apresentam mamilo protruso, outras semi plano, outras ainda um mamilo comprido e outras (uma minoria) apresentam mamilo invertido. Em geral, é mais comum que a mulher apresente apenas um mamilo invertido, o que favorece a amamentação. Como o bebê precisa abocanhar alguma porção da aréola e o mamilo tem apenas a função e liberar o leite da mama, é completamente possível que todas as mulheres, com todos os tipos de mamilos, possam amamentar.

 

Claro que um mamilo invertido pode dificultar a pega, pois este tipo se caracteriza pela presença de bandas apertadas de tecido conjuntivo e, ao bebê fazer a tentativa de abocanhar a aréola, o mamilo é puxado para dentro da mama. Para saber se você realmente possui mamilo invertido, pressione a aréola e verifique se o mamilo é exposto ou se entra em direção à mama. Existem alguns mamilos que são pseudo-invertidos (faltos invertidos) e com o pressionamento eles exteriorizam.

 

Alguns bebês simplesmente não terão dificuldades para abocanhar e extrair o leite, ao passo que outros podem ter a boca pequena, não conseguir abri-la o suficiente para a boa pega, não conseguir extrair o leite por dificuldades de desencadeamento do reflexo de sucção (que ocorre quando o complexo aréolo-mamilar expande na cavidade oral do bebê e toca a região entre o palato duro e mole).

 

O primeiro passo para auxiliar o bebê na pega e ordenha, é manter a aréola macia e as mamas esvaziadas. Ao abocanhar a aréola rígida, a mesma terá reduzida expansão e o bebê ficará confuso com o que fazer com ela, especialmente se não chegar à região que desencadeia o reflexo de sucção. O resultado é um bebê que abocanha, solta, abocanha novamente, se irrita, chora e joga a cabeça para trás e pode até adormecer sem concluir a mamada.

 

Inicialmente é importante que um profissional capacitado avalie a sucção do lactente: se realiza reflexo de procura completo, se possui adequada abertura de boca, se a língua anterioriza, se o frênulo permite a mobilidade da língua para a realização da ordenha, se existem disfunções orais (por exemplo, um bebê que morde ou que mantém a língua elevada), se é prematuro, se ingere algum medicamento que cause sonolência ou dificuldades de sucção, etc.

 

Ainda que seja muito divulgado o uso do intermediário de silicone, este acessório não deve ser utilizado, já que é considerado um bico artificial e pode modificar a forma do lactente sugar. Muitas vezes há pega e ordenha no primeiro dia, mas já nos próximos dias o bebê pode começar a rejeitar a mama. Além do fato do intermediário ser escorregadio e promover a pega do bico de silicone, pode haver dificuldade em extrair o leite e dificultar ainda mais na pega da própria mama.

 

Da mesma forma, é importante não utilizar chupetas e mamadeiras, pois também podem modificar o padrão de sucção e dificultar a pega da mama.

 

O uso de conchas também é desaconselhado, pois podem causar proliferação de fungos e bactérias. Por manter as mamas abafadas e úmidas, o que antes era apenas a dificuldade de pega agora pode também se transformar em monilíase (sapinho) ou mastite. Manter as mamas arejadas e secas é a melhor forma de evitar outros problemas mamários.

 

Caso o bebê não tenha dificuldades na outra mama, a mãe pode manter a amamentação em apenas uma pelo tempo que for necessário. A produção será proporcional ao estímulo, por isso a mama mais estimulada produzirá mais leite. Mesmo assim é importante que a mulher realize ordenha e esvazie constantemente a mama que o bebê não consegue pegar (para manter a produção) e sempre faça tentativas. Com o crescimento da cavidade oral e amadurecimento da sucção ele vai apresentar maior facilidade na pega e ordenha da mama cujo mamilo é invertido.

 

As evidências científicas não apoiam o uso de exercícios de Hoffmann (exercícios para projetar o mamilo). Alguns profissionais utilizam seringa ou dispositivos para projeção, porém ainda não há evidências de sua efetividade, por isso não são indicados, pois podem promover traumas mamilares, dor e assim dificultar na pega e extração de leite materno.

 

Portanto, é possível a mulher amamentar mesmo com mamilo invertido. É necessário que a mãe tenha paciência, perseverança, mantenha a aréola macia e faça tentativas frequentes, sem deixar que o bebê fique estressado. Enquanto isso, pode amamentar com a outra mama sem problemas.

0 Comments

Leave a Comment