Amamentação: proteção e nutrição física e emocional.

Laserterapia como método auxiliar na resolução de problemas de amamentação

11667 Views 2 Comments

O uso do laser terapêutico tem sido estudado e documentado em várias áreas da saúde. Para compreendermos suas vantagens e usos, é importante inicialmente sabermos o que é um laser.

 

O laser é uma energia eletromagnética, que se move do aparelho até seu objetivo final. Um tipo de energia eletromagnética é a contida no controle remoto da TV ou nas ondas do aparelho celular. Já o laser terapêutico é uma onda eletromagnética de baixa potência, mas que ao atingir o tecido alvo age na fotoativação celular e promove vários tipos de efeitos, de acordo com o objetivo do terapeuta.

 

O laser terapêutico, que faz fotoativação tecidual  e é utilizado amplamente por profissionais de saúde produz efeitos bioelétricos (normaliza ou mantém o potencial da membrana celular, favorecendo maior liberação de energia) e bioenergéticos (proporciona energia que estimula a fisiologia ou retorno à normalidade dos tecidos). É um tratamento não invasivo que pode ter efeitos positivos na cicatrização de feridas, redução de dor, edema e inflamação, entre outros, como veremos.

 

O laser terapêutico monocromático (vermelho ou infravermelho) nada mais é do que um feixe de luz estreito, concentrado e intenso.  Ao ser aplicado em um tecido, a luz é absorvida por células que possuem receptores para esse tipo de luz e tem efeito na promoção da reestruturação celular e no equilíbrio de diversas funções do corpo.

 

A laserterapia tem o objetivo principal induzir o reestabelecimento fisiológico do organismo, ou seja, é um bioestimulador e, dependendo de como for utilizada, pode trazer os seguintes resultados:

– analgesia (redução de dor)

– redução de edema (inchaço)

– ação cicatrizante

– ação anti-inflamatória

– ação bactericida

– aumento da circulação periférica

– estímulo à produção de colágeno e elastina

– aumento da síntese de ATP na célula

– combate aos radicais livres (rejuvenescimento)

– aumento da absorção de nutrientes celulares

– ativação do metabolismo celular

– favorecimento da tonificação ou relaxamento muscular

 

No caso da amamentação, a laserterapia é um tratamento coadjuvante, que potencializa a intervenção do profissional especializado. O uso mais comum e conhecido é na cicatrização de fissuras mamilares, com ótimos resultados quando a pega da mama é corrigida pelo profissional consultor em amamentação, mas é possível também prestar auxílio na dor mamilar, ingurgitamento, mastite, abscesso, dificuldades de sucção, cândida oral e mamária, dermatites, estomatites, herpes, etc, sempre após diagnóstico médico e juntamente com os tratamentos tradicionais (medicação, terapia fonoaudiológica, manejo da lactação), sem efeitos colaterais ou riscos, se for realizada por um profissional capacitado e com observância dos cuidados e contraindicações.

 

Desta forma, a laserterapia pode ser um grande aliado para a solução de dificuldades da amamentação, sempre com avaliação e atendimento de um consultor em amamentação para correção da técnica, pega e posição.

2 Comments
  • Melissa Nápolis fevereiro 20, 2018, 1:44 pm

    Olá boa tarde Doutora Cristiane Gomes. Também sou fonoaudióloga, e me interessei bastante neste assunto… Você poderia falar mais sobre o aparelho utilizado e sobre os cursos que podemos fazer nesta área? Desde já agradeço a atenção…

    • Drª Cristiane Gomes março 11, 2018, 4:31 pm

      Melissa, você precisa buscar a capacitação em sua região. O laser tem várias ações no organismo e podemos utilizar na motricidade oral, estética, linguagem, voz… Geralmente há um curso básico, só sobre laserterapia, os comprimentos de onda, as ações terapêuticas e alguns fonos já estão ministrando cursos específicos em cada área.

Leave a Comment