Amamentação: proteção e nutrição física e emocional.

Comparação entre a mama e os bicos artificiais

8894 Views 0 Comment

Não há bico que se assemelhe à mama materna, porque:

– a mama se adequa à cavidade oral do bebê, o que nenhum outro bico é capaz de fazer (ao contrário, a boca do bebê tem que se adaptar ao bico);
– somente na mama o bebê anterioriza a língua, que fica acima do lábio inferior. Todos os bicos rígidos, de qualquer material e tamanho, empurram a língua para posterior, o que muda a sucção do bebê;
– somente na mama o bebê faz todos os movimentos mandibulares que direcionam o crescimento facial (abertura, protrusão, fechamento e retrusão), que são os movimentos de ordenha, ou seja, massagem oral do bebê nos seios lactíferos para retirada do leite por pressão POSITIVA. Em qualquer bico, o bebê faz apenas abertura e fechamento mandibular, pois retira o leite por pressão NEGATIVA (quando dizem que é difícil retirar o leite o bebê tem que fazer essa pressão negativa);

– somente na mama (e pela minha pesquisa de doutorado, no copo) o bebê ativa os músculos que mais tarde serão responsáveis pela mastigação – masseter, temporal e pterigóideos (elevadores da mandíbula). Em qualquer bico o bebê tem uma reduzida ação desses músculos e exacerbada ação dos bucinadores (músculos da bochecha), que, é claro, terá interferência importante no crescimento facial e oral;

– somente na mama há equilíbrio de forças para que o palato seja o mais horizontal possível, permitindo a alimentação oral e respiração nasal. Em todos os bicos, há pressão do bico sobre o palato e, com a ação dos bucinadores, há uma pressão sobre as arcadas dentárias, que pressionarão o palato, que finalmente tomará o formato alto e dificultará a respiração nasal, portanto, É IMPOSSÍVEL compararmos qualquer bico com a mama materna. Não há melhor bico ou mais parecido. Todos trarão, em maior ou menor grau, dependendo da frequência e duração do uso, problemas para a criança.

O melhor mesmo é amamentar, fazer a transição para a mastigação e abolir o uso de qualquer bico na vida da criança.

0 Comments

Leave a Comment