Amamentação: proteção e nutrição física e emocional.

Como fica a fase oral se o bebê for desmamado antes de 2 anos?

5560 Views 0 Comment

Surgiu uma dúvida de uma mãe que gostaria de apresentar aqui. A dúvida é relativa à fase oral, que vai até mais ou menos 2 anos. Como fica para um bebê que é desmamado antes disso?

 

A fase oral é realmente muito importante para o desenvolvimento emocional, psíquico e é base para as demais fases do desenvolvimento psicossexual (oral, anal, fálica, genital). É a primeira pulsão oral e é como o bebê sente prazer, por isso não dá para dizer que o aleitamento não é importante. Claro que na mamadeira é possível se desenvolver, mas como já postei em outras oportunidades, muitas vezes é outra pessoa que alimenta, a criança pode não estar em íntima relação com o corpo da mãe, os ritmos de alimentação são diferentes, a técnica de sucção é oposta, ela não terá sua agressividade trabalhada da mesma forma e isso poderá trazer uma nostalgia do seio que levará por toda a vida. A criança vai se desenvolver, sim, mas pode haver uma falta.

 

A criança amamentada, além de ter a melhor nutrição e maior contato afetivo, prevenção de várias doenças, sua musculatura trabalhada e preparada para a mastigação, ainda tem a sucção da fase oral satisfeita na mama, proximidade maior com a mãe e, se tudo correr bem, o desmame marcará sua entrada na linguagem; passará de uma relação baseada no corpo, para a separação desse corpo e seio; irá começar a representá-lo. A fala será um objeto transicional (que ficará no lugar da presença física da mãe) e continuará sendo uma pulsão oral. Ao mesmo tempo, a mastigação e deglutição passarão a ser fonte de prazer oral para a criança, além da exploração dos objetos na boca.

 

Do ponto de vista nutricional, motor oral e emocional, é imprescindível que a amamentação exclusiva ocorra até o sexto mês e muito importante a criança ser amamentada até 2 anos ou mais, mas a partir de 6 meses ela já tem condições de iniciar o processo lento do desmame (aqui, desmame se relaciona ao início da transição alimentar, que resultará em diminuição paulatina das mamadas até a cessação completa).

 

Quando o bebê começa a ter aptidão de deixar os objetos cairem e começa a morder, já está apta para sentir a presença e também a ausência da mama. Ela já tem condições maturacionais de esperar um pouco mais para a mamada e pode começar, lentamente, a se separar do corpo da mãe.

 

O desejo do desmame deve partir a mãe; caso seja necessário ou sua vontade começar o processo de separação, ela deve estar pronta para aceitar que o bebê sempre tentará evitar que isso aconteça e poderá apresentar episódios de agressividade contra essa negação do seio (as mordidas e arranhões são comuns), mas como é um processo, ela será preparada aos poucos até a separação definitiva. É importante destacar que somente após os seis meses ela deve iniciar a alimentação complementar para dar início a esse longo processo de separação (antes disso não está preparada do ponto de vista gastrointestinal, motor e neurológico)

 

Isso é importante para que a criança se torne um sujeito, se reconheça no espelho e desenvolva a linguagem, então o desmame é tão importante quanto a amamentação!

 

Agora, se um bebê é desmamado antes dos 2 anos, ele continua na fase oral, isso não muda. Antes dos 6 meses (o que não é recomendado), será necessária a substituição do seio por outro objeto de satisfação oral e poderá haver necessidade de sucção extra, o que pode levar aos hábitos orais deletérios (sucção digital, de bicos artificiais, bruxismo, sucção de lábio, sucção ou mordida de bochecha, seguido de roer as unhas); após os 6 meses, ele poderá morder, mastigar os alimentos, colocar objetos na boca e assim satisfazer a necessidade oral. A fala vai se tornando cada vez mais importante nessa pulsão oral e, com aproximadamente 2 anos ela já estará mudando de fase.

 

0 Comments

Leave a Comment