Amamentação: proteção e nutrição física e emocional.

Armazenamento de leite materno

12906 Views 0 Comment

Muitas mães ainda apresentam dúvidas sobre o tempo adequado de estocagem de leite materno para oferecimento ao bebê na volta ao trabalho.

Há muitas informações desencontradas. Algumas desatualizadas e outras que se baseiam em recomendações de outros países. É importante esclarecer essas questões para não colocar em risco o bebê. As recomendações mudam de acordo com o avanço científico, as evidências revelam a necessidade de novas indicações devido aos estudos e tecnologia cada vez mais avançada. O que há alguns anos era utilizado pode estar ultrapassado pelas novas descobertas.


Atualmente os documentos oficiais que temos são o RDC 171 da ANVISA e o documento “Bancos de Leite Humano: funcionamento e controle de riscos”, publicado em 2008. Apesar dos documentos serem do Banco de Leite Humano, as recomendações se dirigem às doadoras e às mães que utilizarão o leite materno cru em domicílio.


Os documentos referem que “O leite ordenhado cru congelado pode ser estocado por um período máximo de 15 dias a partir da data da primeira coleta, a uma temperatura máxima de -3 graus Celsius. Uma vez descongelado, o leite humano ordenhado cru para uso do próprio filho deve ser mantido sob refrigeração à temperatura máxima de 5 graus Celsius, com validade de 12 horas.

O texto destaca “o leite humano ordenhado cru para uso do próprio filho”, ou seja, não é exclusivo para mulheres que farão doação do leite materno, mas para todas as mães, doadoras ou não. O que pode discutir com relação às recomendações contrárias não é simplesmente a perda de nutrientes no decorrer do tempo de estocagem, mas especialmente o crescimento de microorganismos que ocorre em qualquer alimento após o prazo de validade. Esses microorganismos consistem em riscos para a saúde dos lactentes.


As mães podem começar a ordenhar e armazenar o leite materno 15 dias antes do retorno ao trabalho e, ao retornar, devem retirar seu leite durante o dia (as leis trabalhistas que apoiam a amamentação incluem 2 descansos de 30 minutos a cada período para amamentar ou ordenhar o leite). Assim manterá a produção e proporcionará ao bebê o leite materno quando de sua ausência.


O Brasil é referência em segurança de leite humano e nas recomendações para todo o mundo, por isso devemos acatar os documentos oficiais da ANVISA para a proteção de nossas crianças. O leite materno é sempre o melhor alimento para o lactente e disso temos total certeza, porém esse leite precisa ser seguro. Manter a conservação de nutrientes e a manutenção da qualidade é essencial.

0 Comments

Leave a Comment