Amamentação: proteção e nutrição física e emocional.

Amamentar é um prazer! Não é para sofrer!

1414 Views 0 Comment

A amamentação deve ser um prazer tanto para a mãe quanto para o bebê. Para a mãe, porque além de configurar uma íntima relação com o filho, um momento de troca de carinhos, olhares e calor, há liberação de hormônios, especialmente a ocitocina, que é o hormônio que traz relaxamento, tranquilidade e prazer. Esse hormônio também é responsável pela liberação de leite na mama e favorece que o bebê consiga extraí-lo de forma eficiente.

 

A amamentação é a forma de continuidade intrauterina e o método ideal de alimentação do bebê até os 6 meses de forma exclusiva, e até 2 anos ou mais a partir do início da alimentação complementar. É importante frisar que o leite materno é essencial até o primeiro ano de vida e ainda muito importante até o segundo ano. O leite sempre terá substâncias importantes para a nutrição, crescimento e defesa do organismo do bebê, mesmo após os 2 anos.

 

Apesar disso, muitas mães referem que amamentar é um sofrimento: muitas vezes se preparam para o parto, mas não para a amamentação, e quando se deparam com dor, fissuras, dificuldades com o bebê e com a amamentação, se desesperam ou desanimam. Isso se deve a problemas que podem acontecer precocemente (do nascimento aos primeiros dias após o parto, tais como dor e fissuras) ou tardiamente (na primeira ou segunda semana após o parto, como ingurgitamento, mastite, abscesso, confusão de bicos, perda de peso, redução da produção de leite). Esses problemas podem ser evitados com informação atualizada e apoio de profissionais capacitados, como o consultor em amamentação.

 

Ainda que a lactação (produção e liberação do leite materno) seja um processo natural e fisiológico e ainda que o bebê apresente, desde antes do nascimento, vários reflexos que revelam sua capacidade para mamar, o ato de amamentar não é natural, ao contrário, é aprendido e sofre interferências familiares, emocionais, culturais, sociais e econômicas, por isso a importância da mulher ter informação atualizada desde a gestação e, após o parto, contar com o apoio e acompanhamento de profissionais especializados para auxiliar a mãe e o bebê no estabelecimento e na manutenção da amamentação.

 

O consultor em amamentação é, então, este profissional capacitado que possui competências e habilidades para orientar, acolher, esclarecer dúvidas, apoiar, apresentar estratégias, solucionar problemas e acompanhar o processo de amamentação desde seu início, após o nascimento, até o seu final, com o desmame.

 

Além das vantagens para a mãe e para o bebê, ter um consultor em amamentação também apresenta vantagens financeiras, já que o investimento no profissional é reduzido em comparação com o da alimentação artificial (fórmulas, bicos artificiais, produtos relacionados e outros suplementos), por isso procure ajuda! Amamentar deve ser um prazer, não um sofrer!

0 Comments

Leave a Comment