Amamentação: proteção e nutrição física e emocional.

Alimentação por copinho

7432 Views 2 Comments

Nos casos em que o aleitamento materno for interrompido temporária ou permanentemente, OMS e UNICEF não recomendam o uso de mamadeira, nem mesmo nos casos em que se torna imprescindível o oferecimento de alimentos substitutos do leite materno.

Como opção em tais casos, Lang, Lawrence e L’E Orme (1994), Kuehl (1997), Armstrong (1998), Gupta, Khanna e Chattree (1999), Howard et al. (1999b), Avery e Baxter (2001), OMS (2001) e Lima (2001) recomendam a oferta de leite em xícaras ou copos.
O aleitamento por copo é definido como um método de alimentação com leite materno utilizando um copo pequeno, sem que o bebê seja colocado na mama. Embora pareça novo, esse método é utilizado há anos, especialmente em países em desenvolvimento, com o objetivo de proporcionar uma alimentação segura nos casos em que os meios de esterilização de mamadeiras e bicos não sejam seguros ou quando as sondas gástricas não estejam disponíveis .

Nos Estados Unidos o aleitamento por copo é indicado para bebês que são amamentados e a cujas mães apresentam oposição à utilização da mamadeira, bebês que necessitam de complementação após as mamadas, em períodos de doença ou impossibilidade temporária de a mãe amamentar e até mesmo para alimentar bebês com fissura labial e/ou palatina.

Em artigo sobre o uso da xícara, Armstrong (1998) destaca que em muitos países são administrados suplementos líquidos sem o uso da mamadeira por xícaras e colheres, pois são utensílios facilmente encontrados em qualquer residência, de baixo custo e que podem ser higienizados adequadamente com água e sabão, ao contrário da mamadeira, que necessita de escovas especiais, fervura e esterilização.
Para Lima (2001), o objetivo do uso do copo é evitar o contato com outros bicos artificiais, proporcionar alimentação segura na ausência materna e realizar complementação após a mamada. Durante o aleitamento por copo o bebê mantém os níveis de oxigênio e a estabilidade quando comparado com bebês em aleitamento por mamadeira (HOWARD et al., 1999b; TAMEZ, 2002).
De acordo com Kuehl (1997), uma das vantagens do aleitamento por copo consiste em requerer menor gasto de energia por parte do neonato do que o aleitamento por mamadeira. Além disso, os movimentos da língua e mandíbula realizados são semelhantes aos movimentos necessários ao aleitamento materno bem-sucedido. Isso sugere que o aleitamento por copo pode ser uma oportunidade para que o bebê, especialmente o prematuro, desenvolva a musculatura necessária a estes movimentos.
Finalmente, o uso deste método pode evitar a chamada confusão de bicos e, conseqüentemente, o desmame e, de acorco com Czernay et al. (2003), pode prejudicar a instituição futura da amamentação.

Os copos oferecem menores condições para as bactérias se multiplicarem e possibilitam que a mãe ou outra pessoa tenha mais contato com o bebê, promovendo maior estimulação psicológica do que com a mamadeira (LANA, 2001). O método compreende na inclinação do copo de forma que o leite somente toque os lábios do bebê, fazendo com que a estimulação sensorial ocorra primeiramente no lábio inferior. Neste caso, o bebê regula sua própria ingesta e isso requer pouca energia, além de preparar a fase oral da digestão pela liberação de lipases linguais. (LANG; LAWRENCE; L’E ORME, 1994; KING, 1997; LANG, 1999; DOWLING; THANATTHERAKUL, 2001; LIMA, 2001).
Dentre as vantagens do uso do copo na alimentação de recém-nascidos, Tamez (2002) destaca que este método oferece experiência oral e emocional positivas, permite a participação dos pais na alimentação de seu filho, fato que proporciona fortalecimento dos laços afetivos entre eles, bem como favorece a digestão pelo estímulo da produção de saliva e de enzimas digestivas.
Como a ênfase do método está na realização correta do procedimento, no intuito de diminuir a possibilidade de desencadeamento de sinais de stress e aspiração pulmonar, Kuehl (1997) sugere nove passos para o oferecimento de leite no copo, que estão destacados no quadro.

 

copo

Extraído de: Oliveira, K.; GOMES, C. F. Anatomia e fisiologia do Sistema Estomatognático. In: CARVALHO, M. R.; TAVARES, L. A. M. (Orgs.) Amamentação: bases científicas. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora Gen, 2009.

2 Comments
  • Michele janeiro 2, 2017, 2:30 pm

    “Kuehl (1997) sugere nove passos para o oferecimento de leite no copo, que estão destacados no quadro.”

    Desculpe que quadro? Não encontrei na matéria.

    • Drª Cristiane Gomes janeiro 3, 2017, 11:33 am

      Michele, o quadro está no final. Houve um erro, mas já foi corrigido. Obrigada pelo contato

Leave a Comment